BLOGS FAKE NEWS: CONSERVADORES E RELIGIOSOS COM MONETIZAÇÃO DO GOOGLE, RÚSSIA E UCRÂNIA!

Este texto é basicamente um texto denúncia sobre blogs bolsonaristas ou conservadores que reproduziram notícias fraudulentas e caluniosas usando, meu nome, oriundas dos dois blogs sujos de Fake News:


· Jornal da Cidade Online

· Crítica Nacional


São os divulgadores secundários:


1) Portal Maratimba

2) Exibir Gospel

3) Pleno News

4) Presidente Bolsonaro

5) Valdiva Naves

6) A Gazeta Pernambucana

7) Ground News

8) Movimento Conservador

9) Fala Petrolina


É importante lembrar que mesmo a informações fraudulentas e caluniosas destes disseminadores secundários, sendo de outra fonte, segundo especialistas em direito, também estão incorrendo em crime: "Quando um indivíduo, também influenciado por tais características, compartilha uma Fake News, pode sim estar cometendo crime. Se a notícia falsa for difamatória, por exemplo, e divulgada na íntegra pelo sujeito que compartilha, poderá suportar as sanções penais. Aliás, o mero compartilhamento de uma Fake News pode resultar a quem compartilhou a obrigação de um pagamento de indenização à vítima da mentira".


Estes blogs estão praticando está praticando Favorecimento Real aos blogs criminosos originais, previsto no Código Penal no “Art. 349 - Prestar a criminoso, fora dos casos de coautoria ou de receptação, auxílio destinado a tornar seguro o proveito do crime: Pena - detenção, de um a seis meses, e multa.


Com os textos e imagens originais, não autorizadas de meu site também estão violando também direitos autorais, além das suas colocações ofensivas adicionais, tais blogs cometem diversas violações ao código penal a saber:


DOS CRIMES CONTRA A HONRA


Calúnia


Caluniar -é dizer de forma mentirosa que alguém cometeu crime. Para a ocorrência do crime de calunia é essencial que haja atribuição falsa de crime.

Art. 138 - Caluniar alguém, imputando-lhe falsamente fato definido como crime:

Pena - detenção, de seis meses a dois anos, e multa.


§ 1º - Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga.


§ 2º - É punível a calúnia contra os mortos.


Difamação


Difamar – é tirar a boa fama ou o crédito, desacreditar publicamente atribuindo a alguém um fato específico negativo, para ocorrer o crime de difamação o fato atribuído não pode ser considerado crime.


Art. 139 - Difamar alguém, imputando-lhe fato ofensivo à sua reputação:

Pena - detenção, de três meses a um ano, e multa.


Injúria


Injuriar– é atribuir palavras ou qualidades ofensivas a alguém, expor defeitos ou opinião que desqualifique a pessoa, atingindo sua honra e moral.


Art. 140 – Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro:

Pena – detenção, de um a seis meses, ou multa.


§ 1º - O juiz pode deixar de aplicar a pena:


I – quando o ofendido, de forma reprovável, provocou diretamente a injúria;

II – no caso de retorsão imediata, que consista em outra injúria.


§ 2º - Se a injúria consiste em violência ou vias de fato, que, por sua natureza ou pelo meio empregado, se considerem aviltantes:


Pena – detenção, de três meses a um ano, e multa, além da pena correspondente à violência.


§ 3o Se a injúria consiste na utilização de elementos referentes a raça, cor, etnia, religião, origem ou a condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência: (Redação dada pela Lei nº 10.741, de 2003)


Pena - reclusão de um a três anos e multa. (Incluído pela Lei nº 9.459, de 1997)


III - na presença de várias pessoas, ou por meio que facilite a divulgação da calúnia, da difamação ou da injúria.


IV – contra pessoa maior de 60 (sessenta) anos ou portadora de deficiência, exceto no caso de injúria. (Incluído pela Lei nº 10.741, de 2003)


Parágrafo único - Se o crime é cometido mediante paga ou promessa de recompensa, aplica-se a pena em dobro.


Vamos analisar um a um, estes divulgadores secundários, baseado na perícia que realizei em cada um deles. Os dados da perícia podem ser baixados neste texto em anexo:

BLOGS DO FIM DO MUNDO
.pdf
Download PDF • 8.04MB

Caso 1:


Portal Maratimba


Já começa mal, o blog usa o https://www.gpltimes.com/product/advanced-ads-slider/ que conecta com anúncios do Google, portanto há um ganho financeiro do Google com a audiência das Fake News deste blog. Assim minha tese de que o Google fatura, juntamente com os blogs sujos disseminadores de Fake News, está comprovada.


Sobre o proprietário do Blog:


“Na mesma decisão, o juiz Jorge Vaccari Filho manteve o afastamento do vereador Francisco Pereira Brandão (PSC), que também figura como réu no processo. “Não há que se questionar, do mesmo modo, excesso de prazo para a apuração da materialidade dos fatos, prazo este que o Superior Tribunal de Justiça (STJ) entende como razoável em 180 dias”, pontuou o togado. Figura ainda no processo, o ex-secretário de Cultura, Cleber Junior Pereira Bento, e Adriano Costa Pereira, que é diretor de um site da região”.


O Diretor do blog é bastante presente no Jus Brasil:


https://www.seculodiario.com.br/justica/doutor-jander-vira-reu-em-acao-de-improbidade-por-manobra-para-retornar-ao-cargo

https://www.jusbrasil.com.br/processos/182974642/processo-n-0001370-6020144025002-do-trf-2

https://www.jusbrasil.com.br/processos/326106529/processo-n-5000093-3420198080026-do-tjes

https://www.jusbrasil.com.br/processos/329375484/processo-n-5000052-6720198080026-do-tjes

https://www.jusbrasil.com.br/processos/329645057/processo-n-0000283-7120138080033-do-tjes

https://www.jusbrasil.com.br/processos/99821164/processo-n-0005795-5320158080069-do-tjes

https://www.jusbrasil.com.br/processos/101294275/processo-n-0005239-5120158080069-do-tjes

https://www.jusbrasil.com.br/processos/300404719/processo-n-0115976-2020103000000-do-stj


E a busca do Bing traz muito mais “polêmicas”...


https://www.linkedin.com/in/adriano-costa-pereira-7b1bb6142/


LinkedIn praticamente zerado.


A empresa A. C. PEREIRA ME não foi encontrada na busca pelo CNPJ e no site não possui endereço, somente um e-mail e um telefone celular:


Email contato@maratimba.com Telefone (28) 99999-4664.


Não há o nome de um jornalista responsável e o volume de propaganda de empresas grandes no ads do blog é enorme, provavelmente com uso de automação do próprio Google.


Figura 1


Caso 2:


Exibir Gospel


Este blog é uma revista sobre “cultura” gospel, seja lá o que isso for. No WhoIs consta um endereço da empresa enquanto no site consta outro.


A empresa tem “cases” no Jus Brasil.


Está hospedada no Host Gator, uma empresa de blogs de baixíssimo custo.


Não tem o Google ads, portanto parece ser mantido basicamente pela revista e pela loja virtual.


Figura 2


No LinkedIn quase vazio, consta a empresa e uma das “diretoras”.


No próprio site constam os nomes da “equipe”.


Diretora Presidente: Sentileusa de Moraes (sentileusa@exibirgospel.com.br)

(11) 93148-9945


Caso 3:


Pleno News


Parece que minha denúncia ao MPF já fez efeito, o texto foi retirado do site.


Caso 4:


Presidente Bolsonaro

O site se presta unicamente a propaganda política do Jair Bolsonaro, Fake News e fofocas.


Este é o que meu deu mais trabalho na perícia, pois é cheio de truques e mistérios.


Começando pelo proprietário do site:


Nome do registrante: Fernando Amaral Organização do registrante: peloamordedeus.com Rua do registrante: Visconde de Piraja Ipanema Cidade do registrante: Rio de Janeiro Só encontrei alguma menção entre este nome Fernando Amaral e o site no Twitter, com um perfil visivelmente falso com uma foto tirada de algum falecido antigo de uma campa de cemitério.


Figura 3


Foi interessante que logo em seguida que meu bot no Twitter @LorenzettiJL seguiu o usuário @JairEuAcredito (Fernando Amaral), em poucos minutos o texto com meu nome desapareceu do site, podem conferir: https://presidentebolsonaro.com/crentes-sao-pedofilos-criminosos-e-prostitutas-diz-assessor-de-frota/.


Mas as Fake News com meu nome passaram meses neste site sendo patrocinadas por anúncios ad de duas empresas, uma Ucraniana e outra Russa:


https://www.mgid.com/


E vejam os anunciantes deste blog pelo ad Ucraniano:


Figura 4

https://www.adskeeper.com/ (Russa)


Esta direciona anúncios sensacionalistas de mineradores de bitcoins para pessoas leigas:


Figura 5


E também há um outro ad para aceleração de tráfico do site e também anúncios:


https://explore.taboola.com/


É uma empresa dos EUA, porém já tem sede no Brasil, inclusive um country manager.

Figura 6


O Site apesar de todos estes recursos misteriosos de anunciantes globais, tem um movimento inferior ao Estocástico que não usa nenhuma espécie de promoção. Qual a razão de tantos anúncios monetizados para tão pouca audiência? Isso precisa ser investigado pelo MP.


Figura 7


O endereço constando no registro do site é falso ou incompleto, como o proprietário, bem como a “empresa” responsável pelo site é outro enigma:


www.peloamordedeus.com que direciona para um www1.peloamordedeus.com com um site X.


www1.peloamordedeus.com que direciona para um www1.peloamordedeus.com com um site Y.


Vamos explicar, se você digitar no browser www.peloamordedeus.com este link lhe levará para o www1.peloamordedeus.com:


Figura 8


Este site parece ser destinado a transmissões religiosas online, porém abrindo qualquer um deles você será levado para anúncios de várias opções para cada caso, todos monetizados.


Se você digitar www1.peloamordedeus.com no browser você será levado para uma outra página parecida:


Figura 9


Também abrindo qualquer uma das opções você será levado a vários anúncios, como na página anterior todos do Google ads e adsense:


Figura 10


Como eu não sou um usuário comum, a minha personalização de anúncios está sempre desativada, mas este site também é monetizado pelo Google Adsense.


Figura 11


O Site não tem e-mail nem telefone, sendo a única opção de contato o perfil falso do Twitter: @JairEuAcredito (Fernando Amaral).


Caso 5:


Valdivan Alves


Este é o Blogger gratuito que eu utilizava uns 10 anos atrás:


Figura 12


O blog tem vários anúncios de empresas da cidade na forma de imagens fixas e sem links, bem amadorístico.


O blog basicamente não tem movimento:


Figura 13


A única forma de contato disponível do site é o e-mail: valdivannascimento14@gmail.com.


Caso 6:


A Gazeta Pernambucana

Esse parece que minha denúncia no MPF já resolveu, o blog não existe mais.


Caso 7:


Ground News


Este site é canadense e se trata de uma Inteligência Artificial criada por dois irmãos indianos, que acreditam na teoria da conspiração de que as imprensas são todas 100% alinhadas com interesses políticos e econômicos e não têm nenhuma seriedade. Portanto, entre muitos sites mais que ambos possuem (chineses, russos, indianos e uma série de países mais), eles acreditam que este www.ground.news é a pedra filosofal do jornalismo imparcial e criaram uma cópia da Democracia Direta para o jornalismo em relação a avaliação das matérias de diversas fontes.


A ineficiência e ineficácia da IA deles já se demonstrou em selecionar um blog sujo bolsonarista, comandado pelo desqualificado e afetado Paulo Enéas, com uma informação completamente falsa que o mesmo levantou de uma outra Fake News operacionalizada por um perfil anônimo bolsonarista, que era amigo do responsável pelo perfil da operadora de saúde. O fato é que a Prevent Sênior se fez de rogada quando minha advogada entrou em contato para prestar queixa sobre o ocorrido e que o Twitter também não tomou nenhuma providência com a informação fraudulenta e caluniosa de que "meu tio não havia falecido no hospital da Prevent Sênior", de Covid-19 após o tratamento com cloroquina por parte da empresa.


Eu enviei um FAQ em inglês a este Ground News solicitando a retirada imediata da informação falsa do site. Casa não haja nenhuma ação por parte deles, já estou em contato com os dois irmãos indianos no LinkedIn para um “by-pass” clássico na hierarquia.


O fato é que o Crítica Nacional, do sempre pouco ocupado "Parlo" Enéas se cadastrou como fonte do Ground News:


Figura 14


Deste modo a resolução definitiva passa por resolver o problema também na fonte original da informação fraudulenta e caluniosa, com o Crítica Nacional, que é o responsável pela informação estar no Ground News.


Equipe do Crítica Nacional:

Paulo de Oliveira Enéas: Editor Angélica Ca: Assistente de produção e gerenciamento de mídias sociais Rubia Mackin: Colaboradora de produção de conteúdo em Miami, Estados Unidos Débora Portugal: Editoria nacional


Contato:

Use o nosso WhatsApp (11) 95712.7752 ou e-mail contato@criticanacional.com.br para falar conosco.


Esta Fake News fraudulenta e caluniosa foi arquitetada através de um perfil anônimo Fake News bolsonarista famoso em complô com o administrador do perfil da popular ré do Jus Brasil a afamada Prevent Sênior. O perfil bolsonarista pegou um tweet, meu sobre a morte real de meu tio no hospital da Prevent Sênior que foi tratado com cloroquina e faleceu. Assim como também aconteceu com minha tia pouco tempo depois no mesmo hospital. O administrador do perfil da Prevent Sênior ficou então brincando com o perfil anônimo e dezenas de outros anônimos milicianos sobre a morte de meu tio, inclusive me ameaçando, sem que eu tenha cometido qualquer delito em comentar que meu tio faleceu com um tratamento comprovadamente sem eficácia e inclusive podendo causar efeitos colaterais que levam a morte. É público que um dos irmãos músicos de heavy metal proprietários da Prevent Sênior é bolsonarista e inclusive entrou em conflito com um ministro da saúde por conta da cloroquina. Eu não perdi tempo conversando com um moleque administrador de perfil de Twitter. Minha advogada entrou em contato com o Diretor de Comunicação da Prevent Sênior que não tomou nenhuma providência em se retratar publicamente. Eu mesmo fiz um documento para o conselho de ética da referida empresa, cobrando retratação e não tive resposta. Provavelmente os proprietários “músicos” trabalham com fones de ouvido escutando bandas de "death metal" nas reuniões do conselho de ética. Mas o fato é que o Jus Brasil, o Procon e até o perfil de Prevent Sênior no Twitter estão cheios de pessoas insatisfeitas com a empresa. Em francamente preferiria o SUS a esta empresa.


Em relação ao Ground News, caso resolvido:


Figura 15


Caso 8:


Movimento Conservador


Este Movimento Conservador era o antigo movimento Direita SP, de indivíduos com a falta de qualificação de Douglas Garcia, Carteiro Reaça e Edson Salomão.


Figura 16


Inclusive o não eleito vereador na cidade de São Paulo justamente o inexpressivo Edson "Sabichão" é presidente do movimento.


Figura 17


Esse pessoal, com o qual eu nunca tive contato nem época das manifestações pelo impeachment, quando eu assistia as mesmas no prédio da FIESP, espalha uma outra Fake News que eu sou membro sênior do MBL, com o qual tenho atualmente uma péssima relação, mas pelo fato de ter participado de um congresso, um MBL News e ter doado R$ um total de R$ 400 ao movimento pelo Youtube ao longo de um mês. É uma informação antiga e falsa plantada por perfis anônimos bolsonaristas, pois de fato eu já participei por um ano do PSDB nos anos 80, do NOVO por um ano em 2018 e tentei participar do MBL e VPR por dois meses entre 2019 e 2020, mas não tive afinidade alguma de causas com nenhum destes partidos e movimentos, tanto é que hoje não tenho boas relações com nenhum deles. Eu vejo muita similaridade inclusive entre o Movimento Conservador e o MBL, até acredito que venham a sem fundir num futuro próximo para não desaparecerem com o fim do bolsonarismo. Ambos são movimentos "tribais" de extrema direita e modulam jovens, que modulam seus pais. Como o Renova, de um modo mais "refinado".


O blog deles não é monetizado, aparentemente vivem de vendas de produtos e custas de associados.


Na realidade o blog deles praticamente não tem movimento:


Figura 18


O único meio de contato disponível com o blog é o e-mail: contato@movimentoconservador.com.


Caso 9:


Fala Petrolina


Apesar do baixo movimento e péssima qualidade de conteúdo, este blog sujo de fake news é aprovado e monetizado pelo adsense do Google.


Figura 19


Você clicando o índice da fake News caluniosa e fraudulenta com meu nome no site o Google ads já entra em ação com uma propaganda:


Figura 20


Isso comprova mais ainda que o Google lucra com estas Fake News fraudulentas e caluniosas destes blogs sujos e por esta razão, mesmo você solicitando ao Google o “direito ao esquecimento” desta notícia em seu buscador ele se recusa a tirar, uma vez que ele fatura tanto com anúncios no buscador, como recomenda nas primeiras páginas sites que participem do ads e adsense, aumentando os movimentos dos sites monetizados e que monetizam do Google e os patrocinadores pagam. Isso não caracteriza um crime econômico?


Figura 21


É assim que o Google ganha em cima do nosso nome não importa como.


A única forma de contato com o site é o e-mail: contato@falapetrolina.com.


Conclusões


Como ficou claro os dois blogs principais fontes das Fake News, não são mais monetizados graças ao Sleeping Giants, o Crítica Nacional e Jornal da Cidade Online, mas continuam com fontes de rendas obscuras que precisam ser explicadas, face a quantidade de processos que ambos respondem como réus.


Os demais blogs, exceto o Ground News, são hospedados diretamente ou através de terceiros em empresas de baixo custo normalmente nos EUA ligadas a https://www.cloudflare.com/ que é ligada a alt right norte americana.


Em geral tentam manter seus proprietários anônimos inclusive nos serviços de registro legais.


Cloudflare enfrentou várias controvérsias sobre sua falta de vontade de monitorar o conteúdo distribuído por meio de sua rede - uma posição que defendeu com base no princípio da liberdade de expressão. Cloudflare afirmou que vai "continuar a cumprir a lei" e "servir todos os clientes", explicando ainda que "o nosso papel não é o de censor da Internet". Essas controvérsias envolveram a política de neutralidade de conteúdo da Cloudflare e o uso subsequente de seus serviços por vários sites controversos, incluindo The Daily Stormer e 8chan, eimageboard que foi associado a vários tiroteios em massa nos Estados Unidos e os tiroteios na mesquita de Christchurch na Nova Zelândia. Sob pressão pública, a Cloudflare encerrou os serviços para o The Daily Stormer em 2017 e para o 8chan após o tiroteio em El Paso 2019.


A Cloudflare esteve sob pressão em várias ocasiões devido às suas políticas e por se recusar a interromper o suporte técnico (como roteamento DNS e mitigação de DDoS) de sites como LulzSec, The Daily Stormer e 8chan. Alguns argumentaram que os serviços da Cloudflare permitem o acesso a conteúdo que espalha o ódio e tem causado danos e mortes. No entanto, Cloudflare, como um provedor de infraestrutura de Internet, tem ampla imunidade legal do conteúdo produzido por seus usuários.


A Cloudflare forneceu roteamento DNS e proteção DoS para o site da supremacia branca e neonazista, The Daily Stormer. Em 2017, a Cloudflare parou de fornecer seus serviços ao The Daily Stormer depois que um anúncio no site polêmico afirmou que os "escalões superiores" da Cloudflare eram "secretamente apoiadores de sua ideologia". Anteriormente, Cloudflare recusou-se a tomar qualquer medida em relação ao The Daily Stormer. Como um autodenominado "absolutista da liberdade de expressão", o CEO da Cloudflare, Matthew Prince, em um post de blog, jurou nunca mais sucumbir à pressão externa e procurou criar um "guarda-chuva político" para o futuro. Prince também abordou os perigos de grandes empresas decidirem o que pode permanecer online, uma preocupação que é compartilhada por vários grupos de liberdades civis e especialistas em privacidade. A Electronic Frontier Foundation, um grupo de direitos digitais dos EUA, disse que serviços como o Cloudflare "não deveriam julgar o que o discurso é aceitável", acrescentando que "quando a atividade ilegal, como incitação à violência ou difamação, ocorrer, o canal adequado para lidar com isso é o sistema jurídico."


O Huffington Post alega que a Cloudflare fornece serviços a "pelo menos 7 grupos terroristas", conforme designado pelo Departamento de Estado dos Estados Unidos, incluindo o Talibã, Hamas e as Brigadas al-Quds, e está ciente desde pelo menos 2012, e não tomaram nenhuma ação. No entanto, de acordo com o CEO da Cloudflare, nenhuma agência de aplicação da lei pediu à empresa para descontinuar esses serviços.


Em 2019, a Cloudflare foi criticada por fornecer serviços para a discussão e imageboard 8chan, que permite aos usuários postar e discutir qualquer conteúdo com o mínimo de interferência dos administradores do site. O quadro de mensagens foi relacionado a tiroteios em massa nos Estados Unidos e aos tiroteios na mesquita de Christchurch na Nova Zelândia. Além disso, várias organizações de notícias, incluindo The Washington Post e The Daily Dot, relataram a existência de pornografia infantil e fóruns de discussão sobre abuso sexual infantil. Um representante da Cloudflare foi citado pela BBC dizendo que a plataforma "não hospeda os sites mencionados, não pode bloquear sites e não tem como objetivo ocultar empresas que hospedam conteúdo ilegal". Em uma entrevista de 3 de agosto para o The Guardian, imediatamente após o tiroteio em El Paso 2019, o CEO Matthew Prince defendeu o apoio da Cloudflare ao 8chan, afirmando que ele tinha uma "obrigação moral" de manter o site online. Em agosto de 2019, Cloudflare encerrou os serviços para 8chan, um imageboard americano, depois que o autor do tiroteio em El Paso de 2019 supostamente usou o site para carregar seu manifesto.


Os serviços da Cloudflare têm sido usados ​​pelo Rescator, um site de cardagem que vende dados de cartões de pagamento roubados. Dois dos três principais fóruns de bate-papo online pertencentes ao Estado Islâmico do Iraque e Levante (ISIL) são guardados pela Cloudflare. De acordo com Prince, as forças de segurança dos EUA não pediram à Cloudflare para descontinuar o serviço, e eles próprios não decidiram fazer isso. Em novembro de 2015, o grupo hacktivista Anonymous desencorajou o uso dos serviços da Cloudflare após os ataques do ISIL em Paris e a renovada acusação de que a Cloudflare auxilia terroristas. Cloudflare respondeu chamando o grupo de "garotos de 15 anos usando máscaras de Guy Fawkes" e dizendo que sempre que tais preocupações são levantadas, eles consultam especialistas em antiterrorismo e cumprem a lei.


No final de 2019, a Cloudflare foi criticada por fornecer serviços ao site anti-negro Chimpmania. Centenas de milhares assinaram uma petição no Change.org instando Prince a encerrar os serviços para a Chimpmania. A petição foi elaborada pelos pais de um bebê bi racial que nasceu com gastrosquise e que foi ridicularizado como “bebê macaco mulato” pelos usuários do site, e cujas fotos foram postadas no site. Ao longo dos dez anos em que o site está ativo, várias outras petições também foram feitas contra ele, nenhuma das quais teve sucesso.


Esclarecido quem hospeda a maioria destes blogs sujos de Fake News, com movimentos criminosos e mídia fake, com total anonimato, sabemos com que tipo de pessoas estamos lidando por trás destes blogs fake news.

Empresas como a Cloudflare, Google, Twitter etc. são as grandes armas tecnológicas, econômicas e políticas que a Democracia Ciborgue e a Pós-Verdade da nova direita possuem.

COPIAR E DIVULGAR CONTEÚDOS DESTE SITE SEM AUTORIZAÇÃO É CRIME DE VIOLAÇÃO DE DIREITOS AUTORAIS PREVISTO NO ART. 184 DO CÓDIGO PENAL!