LEFT DEX:MILICIANO VIRTUAL

Atualizado: há 5 horas

O perfil Left Dex, o arguido MAV (Miliciano Virtual Anônimo) bolsolavista do Twitter, o qual é seguido sem protérvia por gente como Carluxo, Dudu e Allan Terço Livre. Em conversas de bastidores não raras pessoas desfiam que se trata um comensal muito próximo aos seus pertinentes seguidores. Até as vezes se houve fragores sobre o prenome e múnus do mesmo. Mas isso é informação não protocolar, portanto deixemos a cargo da justiça, na pertença da perícia criminal, da CPMI das Fake News e Jornalistas Investigativos, com sigilo de fontes, trazer a público a informação que voeja pelos passadiços. Provas arguciosamente registradas em nuvem, bem como excluídas (pelo respectivo) mas preservadas pelo Twitter e até Tweets ainda disponíveis, são provações de práticas criminosas como doxing, cyberbullying e stalking, por exemplo. Isto sem falar na possível atividade trabalhista e gratificada por fontes empenhadas politicamente que pode subsistir.


Esta segunda conta do invectivo Left Dex, data de junho de 2010, por casualidade, criada aproximadamente um ano após seus egrégios seguidores: Carluxo e Dudu. Atualmente conta com cerca de 62,3 mil seguidores, segue 322 perfis, possui 19,1 mil Tweets (uma média de 5.30 Tweets por dia). Tanto a quantidade quanto a qualidade de seus Tweets não justificam a quantidade de seguidores (tem uma média de 3.26 seguidores por Tweet), portanto ele possui uma eficiência e eficácia muito superior, por exemplo ao famoso humorista Danilo Gentili, que mesmo com toda sua presença na mídia tem uma média de 0.0041 seguidores por Tweet. Mesmo tendo muito menos seguidores que o famoso humorista, ele tem muito mais captagem e até alcance proporcionalmente. É bem plausível que automações e militâncias politicas encovas sejam responsáveis por este sucesso.


O alcance dos Tweets do caborteiro é ainda mais estarrecedor, qualquer Tweet asinino deste, tem curtidas de milhares de perfis que nem o seguem inclusive, dezenas de Retweets e comentários também de uma incongruente quantidade de não adeptos. Isso é mais uma evidência de possível automação e hostes milicianas "pique-esconde". Se compara aqui ao do apresentador de televisão Danilo Gentili com 17,4 mi seguidores e supera o escritor Paulo Coelho com 15,4 mi seguidores. Se trata de fenômeno do marketing digital de um ignoto virtual que consegue alcance faraônico, mesmo com uma pequena quantidade de seguidores e Tweets pascácios. Será a profecia de Nelson Rodrigues se concretizando?


A maioria dos seguidores do sub-reptício Left Dex é composta por perfis "John Doe" e "Jane Doe". Perfis estes que em sua maioria fazem parte da mancheia dos SDV (Sigo de Volta) dos perfis da súcia que se apresenta como "direita". A quantidade de perfis visivelmente "figurantes" é incomensurável. A escritora, blogueira e também "tuiteira" Denise Detremura (com 470,9 mil seguidores), tem nove vezes mais seguidores e é assistida em sua maioria por perfis mais axiomáticos.


A temática mais costumeira dos Tweets do devoluto Left Dex, que podem ser caracterizados até como crimes virtuais, consiste basicamente em:


  1. Calúnia

  2. Difamação

  3. Divulgação de material confidencial

  4. Ato obsceno

  5. Apologia ao assédio e perseguição

  6. Perfil falso

  7. Preconceito ou discriminação

  8. Crimes virtuais contra mulheres

  9. Crimes de ódio


Qualquer pessoa que se sentir sofrente por Tweets deste perpetrador virtual pode e deve denunciá-lo para:


São Paulo: 


DIG-DEIC - 4ª Delegacia - Delitos praticados por Meios Eletrônicos. Presta atendimento presencial, por telefone e via Web. Endereço: Av. Zack Narchi, 152, Carandiru - São Paulo (SP) Fone: (11) 2224-0721 ou 2221 - 7030. Para denunciar qualquer espécie de delito virtual anonimamente, utilize o e-mail:4dp.dig.deic@policiacivil.sp.gov.br


Rio de Janeiro: 


Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) - Rua Professor Clementino Fraga, nº 77 (2º andar), Cidade Nova (prédio da 6ª DP), Rio de Janeiro/RJ (CEP: 20230-250), telefones (0xx21) 2332-8192, 2332-8188 e 23328191 e e-mails drci@pcivil.rj.gov.br ;


Espírito Santo:


Delegacia de Repressão a Crimes Eletrônicos (DRCE) - Av. Nossa Senhora da Penha, 2290, Bairro Santa Luiza, Vitória/ES (CEP: 29045-403), telefone (0xx27) 3137-2607 e e-mail drce@pc.es.gov.br;


Minas Gerais:


DEICC - Delegacia Especializada de Investigações de Crimes Cibernéticos - Av. Nossa Senhora de Fátima, 2855 - Bairro Carlos Prates - CEP: 30.710-020, Telefone (33) 3212-3002, e-mail dercifelab.di@pc.mg.gov.br;


Paraná:


Nuciber da Polícia Civil do Paraná - Rua José Loureiro, 376, 1º andar - sala 1  - Centro - 80010-000 - Curitiba-PR, Tel:(41) 3323-9448 - Fax: (41) 3323-9448, e-mail cibercrimes@pc.pr.gov.br;


Rio Grande do Sul:


Delegacia de Repressão aos Crimes Informáticos (DRCI/DEIC) - Av. Cristiano Fischer, 1440, Bairro Jardim do Salso em Porto Alegre, na mesma sede do DEIC. O telefone de contato é (0xx51) 3288-9815, e-mail drci@pc.rs.gov.br;https://www.oficinadanet.com.br/post/14450-quais-os-crimes-virtuais-mais-comuns?utm_source=lec


Distrito Federal: 


Divisão de Repressão aos Crimes de Alta Tecnologia (DICAT) - Não atende diretamente ao público, neste caso a vítima pode procurar a delegacia mais próxima para efetuar registro de ocorrência, A DICAT é uma Divisão especializada em crimes tecnológicos que tem como atribuição assessorar as demais unidades da Polícia Civil do Distrito Federal, o telefone é (0xx61) 3462-9533 e e-mail dicat@pcdf.df.gov.br;


Goiás:


Gerência de Inteligência da Polícia Civil - Setor de Análise (0xx62) 3201-6352 e 6357.


Pará:


Delegacia de Repressão aos Crimes Tecnológicos - Travessa Vileta, n° 1.100,  Pedreira. Belém-PA. CEP: 66.085-710, com telefone de contato (91) 4006-8103, e-mail drct@policiacivil.pa.gov.br. A DRCT é vinculada à Diretoria de Repressão ao Crime Organizado.


Mato Grosso - Cuiabá:


Gerência de Combate a Crimes de Alta Tecnologia - GECAT -  Av. Cel. Escolástico Nº, Bandeirantes - Cuiabá - Cep: 78.010-200 - Telefone: (65) 363-5656


Sergipe - Aracaju


Delegacia de Repressão a Crimes Cibernéticos (DRCC) - Rua Laranjeiras, nº 960, Bairro Centro  - Aracaju - Cep: 4900-000 telefone: (79) 3198-1124


Outras práticas não criminosas, mas ascosas do perfil Left Dex são as escolásticas virtuais de falácias, sofismas e silogismos. Ele também pratica um senso de humor abjeto, que agrada diretamente o público bolsonarista de pessoas pendulares, achavascados, ignaros, santanários e rococós. O tipo de jocosidade dos Tweets do tarimbeiro Left Dex nos remete a chistes de ébrios em pequenos bares de bairro. É a profecia do escritor e filósofo Umberto Eco se concretizando. Outra referência ao estilo de humor lembra muito os comediantes e seriados humorísticos dos anos sessenta até oitenta. Onde o humor era crú, preconceituoso e desumanizador. Tudo bidimensional, baixa resolução e até monocromático.


É indizível como o Twitter, após dez anos de práticas flagiciosas deste poleá, não tenha cancelado a conta do mesmo há tempos. E a quantidade de denúncias feitas contra os Tweets do perfil é copiosa. Mas o Twitter tem algumas peculiaridades em termos de de conceitos antiautoritários e atinentes. As suspensões de contas, as penalizações e até a verificação de perfis são truanices visando justamente questiúnculas para gerar mais plateia.


Portante além de denunciar o perfil, cabe a nós, civilizada e democraticamente, aguardar que as autoridades, a justiça e os jornalistas coloquem este refece no vácuo que ele merece. Nós que defendemos a democracia, não praticamos enforcamentos, linchamentos, duelos, encomendas, fogueiras e nem águia de sangue, mesmo sabendo quem e onde encontrar. Além dos declarados cientes da recognição do arlequim, acessos dele ou de seus zangões a sites pessoais com Web-Stat IP Location, contas LinkedIn Premium e até o aplicativo para Telefonia e WhatsApp True Caller Premium, já fizeram o trabalho de desenterramento dos borra-botas em suas guaridas virtuais.


“O que tem começo, tem fim.”


NICOLAU MAQUIAVEL







Copyright © 2020 de Jair Lorenzetti Filho. Todos os direitos reservados. Este site ou qualquer parte dele não pode ser reproduzido ou usado de forma alguma sem autorização expressa, por escrito, do autor.