MAVS NA FASE ANAL FREUDIANA!

A erotização do estágio anal envolve tanto a sensação de prazer da excreção virtual como posteriormente, a estimulação erótica da mucosa anal MAV por meio da retenção das fezes em tweets e comentários.


Freud observou a conexão entre impulsos anais e sádicos nos MAVs. Inicialmente, o objeto da atividade anal-sádica é as fezes MAVs, e sua eliminação em tweets é considerada como um ato sádico MAV.


À medida que o estágio anal progride, o sadismo MAV assume uma natureza mais impessoal. Nas lutas em desenvolvimento em relação ao treinamento esfincteriano, o MAV aprende a exercer poder sobre os inimigos virtuais cedendo ou retendo as fezes.

A sensação de poder sobre o ambiente do Twitter que surge com o controle do esfíncter representa outro elemento sádico MAV.


Antes do treinamento esfincteriano, a eliminação e a retenção prazerosa são essencialmente auto eróticas porque elas não exigem a presença ou o auxílio de um objeto externo ao Twitter.


O ato de defecação virtual durante este período está imbuído de um sentimento de onipotência como resultado. As fezes virtuais tornam-se libidinizadas porque representam prazer MAV.


Posteriormente, o MAV desenvolve uma visão ambivalente das fezes como conteúdos do Twitter que são tanto externos como internos. Em outras palavras, o MAV considera as fezes dos posts tanto como “eu” quanto como “não eu”.


Por outro lado, as fezes dos posts são amadas e retidas ou reinternalizadas; por outro lado, são odiadas e expelidas em tweets.


A ambivalência associada ao estágio anal MAV pode ser transferida para objetos do ambiente externo ao Twitter. A estimulação associada à limpeza da área anal MAV pode levar a fortes sentimentos eróticos em relação ao Olavo e ao Bolsonaro.


Posteriormente, batalhas em relação ao treinamento esfincteriano MAV produzem sentimentos agressivos e odiosos em relação a figuras não bozolavistas.


Freud sugeriu que as pessoas obsessivo-compulsivas MAVs regridem para o estágio anal do desenvolvimento humano.


A ambivalência associada às fezes em tweets, em conjunção com o controle bozolavista, leva estes MAVs a tornarem-se compulsivamente asseadas, rígidas, dominadoras e pedantes.


Freud também as descreveu como intensamente ambivalentes, atormentadas por sentimentos simultâneos tanto de controlar e de reter o objeto quanto de expeli-lo e destruí-lo no Twitter.


Fonte parodiada https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/direito/psicanalise-fase-anal/46956

Copyright © 2020 de Jair Lorenzetti Filho. Todos os direitos reservados. Este site ou qualquer parte dele não pode ser reproduzido ou usado de forma alguma sem autorização expressa, por escrito, do autor.

Copyright © 2020 de Jair Lorenzetti Filho. Todos os direitos reservados. Este site ou qualquer parte dele não pode ser reproduzido ou usado de forma alguma sem autorização expressa, por escrito, do autor.