MELIANTES ANÔNIMOS VIRTUAIS!

As pessoas que utilizam seus nomes verdadeiros nas redes sociais, principalmente no Twitter, e possuem opiniões próprias, diferentes das hostes anuviadas de perfis anônimos coléricos, que em sua maioria apoiam o seu capo, “o mito”, estão sofrendo verdadeiros processos inquisitórios dos “Knight Riders” anônimos encapuzados virtuais do Bolso clã.


Estes perfis, de pessoas anônimas, aparentemente problemáticas em suas vidas no mundo real, encontraram nas bolhas de filtragem das redes sócias seus grupos de similares e nas câmeras de eco das mesmas o espaço público para vociferar seus recalques e resignações.


Não se contendo nas suas bolhas de filtragem, as hordas virtuais irascíveis se organizaram para operações de “assalto” em perfis de outras bolhas, de pessoas identificáveis como reais, as quais você consegue encontrar na rede social LinkedIn, pois têm currículos, realizações e ocupações meritórias.


E todos os tipos de ataques ocorrem: calúnias, ofensas, acusações falsas, ilações, distorção de informações, perseguições, assédio, difamações, trapaças, ataques à honra e até revelação de informações públicas e privadas protegidas inclusive por sigilo de justiça.


E tais ataques são feitos em suam grande maioria por anônimos ou perfis falsos, ou seja: por gente escondida quer pelas razões que estão na rede social ou simplesmente indignadas de quem são no mundo real. Todos são personagens “campeões” da justiça e os “escolhidos” por Deus, com evidente complexo de super-heróis com dupla identidade.


Estes grupos são comandados, pelo efeito “estouro da manada” por perfis anônimos “influencers”, como os tais DEX e Loen. Assim como sua macheia são todos anônimos, porém comportando-se que verdadeiros “PHDs” em múltiplas ciências propagando desinformações, informações mal intencionadas, Pós-Verdades e Fake News, as quais as sua malta virtual espera pré-disposta, dentro de suas bolhas virtuais para iniciar a guerrilha nas câmeras de eco.


Como esta gente está a serviço de políticos, com aparentes interesses eleitorais e econômicos, este processo é denominado Democracia Ciborgue. Já bastante estudado em diversos livros de cientistas verdadeiros, não anônimos e com credibilidade.

Existe no meio deste lodo todo bots (automações) e perfis automatizados com ferramentas externas também. Invariavelmente todos têm várias contas reservas, já sendo preparadas com os SDV (Segue de volta entre eles) para serem infladas e operacionalizadas caso a conta principal sofra alguma punição.


Os grupos se organizam tanto em conversas fechadas dentro do Twitter, quando no Telegram, WhasApp, GAB e mais recentemente o Parler, onde trocam informações e definem as estratégias de guerrilha. Inclusive com a distribuição de material visual como memes e imagens adulteradas, inclusive de notícias e publicações científicas. Tudo para ser usado na disseminação da Pós-Verdade em prol da Democracia Ciborgue.


Apesar de vários destes perfis anônimos líderes, com dezenas de milhares de seguidores já estarem inclusive sendo investigados pela CPMI das Fake News no legislativo e a Ação das Fakes News no STF, inclusive perfis estes que deveriam estar bloqueados, identificados e periciados conforme determinação do Ministro Alexandre de Moraes, permanecem “piando” do Twitter. Porém especificamente o Twitter segue com estes perfis ativos, alguns com mais de dez anos, atuando como “firewall” dos mesmos. Apesar de inúmeras violações as regras e políticas do próprio Twitter, estes perfis no máximo levam um “gancho” de alguns dias e voltam fazendo as mesmas coisas depois.


O Twitter é uma empresa dos EUA com filial legalmente operando e um bom número de C Levels no Brasil, porém ainda não vi nenhum sendo convocado ou até sofrer até uma prisão preventiva por permitir que seus “clientes” os perfis anônimos, pratiquem dezenas de crimes virtuais, impunemente e nem ao menos possuam as identidades destes. Trata-se de uma empresa privada, prestando um serviço em público, onde os clientes são produto (com suas atividades e números na rede) que são comercializados para anunciantes com os tweets promovidos e propagandas adjacentes.


Eu me sinto um cliente identificado do Twitter, utilizado para práticas de assedio virtual por milhares de clientes anônimos que não são punidos e revelados pelo Twitter. Além disso, mesmo utilizando a lei, você esbarra em dificuldades que começam no próprio Twitter, às vezes levando o problema para fora do Brasil, em sua sede em San Francisco nos EUA. Isso aumenta o custo e prazo da ação judicial drasticamente. Isso antes da fase de perícia no provedor de acesso da internet, de telefonia e de e-mail do perfil anônimo quando revelado pelo Twitter.


O processo atual de identificação destes perfis é lento e inviável para um enxame, por isso temos que focar nas “rainhas” e bloquear os zangões.


O fato é que o Twitter é a terra dos anônimos proto-humanos, incivilizados e impunes, gerando grandes volumes de acesso para a rede social atrair anunciantes a qualquer custo.


Nesta semana registrei algumas denúncias no MPF sobre perfis anônimos líderes, sobre o próprio Twitter e até empresas que operam nele.


Nós pessoas reais, não conseguimos suportar estes ataques em enxames de milhares de meliantes anônimos que estão sempre desocupados em suas vidas reais e parecem viver só no Twitter. É por esta razão que o MPF tem que tomar ações urgentes contra a rede social Twitter em relação a sua facilitação as estas ações e omissão para resolvê-las.


Nós temos que trabalhar e essa gente parece só trabalhar no Twitter.

Copyright © 2020 de Jair Lorenzetti Filho. Todos os direitos reservados. Este site ou qualquer parte dele não pode ser reproduzido ou usado de forma alguma sem autorização expressa, por escrito, do autor.