MUITA ESTRELA PARA POUCA CONSTELAÇÃO!

Com a pandemia e o isolamento social houve um aumento exponencial de atividades pela internet. A maioria comércio eletrônico disfarçado da forma de “lives” musicais (monetizadas), com músicos e músicas insuportáveis para mim, porém que alguns vizinhos gostam de assistir ruidosamente, cantando juntos bêbados, por toda a madrugada.


Também ocorreu um aumento bastante considerável de comércio eletrônico de produtos e serviços. O que ajuda em pequena parte a economia.


Mas o maior aumento que ocorreu realmente foi nas “lives” pessoais. Parece que todo mundo resolveu que precisa ficar famoso e começou a fazer as supracitadas “lives” e / ou “vídeos”, sendo que a grande maioria nem monetizados são.


Vou dar meu exemplo prático, eu tenho alguns amigos e colegas das redes sociais os quais julgo que têm alguma coisa para dizer. Não são muitos, mas andam “encavalando” os horários das “lives”. Só em um aplicativo, o Instagram, que tenho pouco mais de cem pessoas, com muita frequência chegam a ter dez “lives” ao mesmo tempo.


E eu estou muito longe de ser uma pessoa cheia de amigos, colegas e até contatos nas redes sociais. No Facebook tenho ao redor de 1800 pessoas, no Youtube cinco, no Twitter 5000, Instagram 100 e LinkedIn 2000. E pouco utilizo estas redes sociais. Apenas no WhatsApp, que mistura família, negócios, prestadores de serviços, empresas, amigos e colegas têm cerca de 8000. Mas quase todos silenciados e atualmente faço pare apenas de três grupos, o maior com 20 pessoas, administrado exclusivamente por mim. Minha claustrofobia virtual, aliada com minha incessante busca por ser irrelevante e completa falta de interesse econômico nas redes sociais me fez ficar assim.


Eu atualmente faço apenas uma participação semanal em um programa virtual chamado Pós-Verdade, com uma renomada e competente jornalista e com o guru do Peter Pan e Garotos Perdidos da Terra do Nunca. Mas longe de ser uma “live”, considero mais um programa educativo de utilidade pública. Fiz algumas “lives” com amigos e colegas que me convidaram, mas sou um C Level nativo de palestras, congressos, seminários, convenções, etc. Acostumado ao palco e a apresentar conteúdos previamente pautados. Não sei se tenho um desempenho atrativo para “lives”.


Mas deixando de lado a minha situação, pois não sou um bom exemplo, o que tenho visto nas cada vez mais frequentes “lives” de meus amigos e colegas, têm cada vez menos pessoas assistindo. Dai proponho o seguinte enunciado:


“Duas ou mais ‘lives’ não podem ocupar a mesma rede social com as mesmas bases de seguidores ao mesmo tempo”.


Jair “Hawking Einstein” Lorenzetti Filho


Resumindo, estão tentando violar as “leis da física virtual” das redes sociais.


Até a sabedoria dos índios sempre provou isso, pois as tribos que tinham muitos caciques, para poucos índios, invariavelmente terminavam extintas.


A consequência disso é um céu com muita estrela para pouca constelação.

Copyright © 2020 de Jair Lorenzetti Filho. Todos os direitos reservados. Este site ou qualquer parte dele não pode ser reproduzido ou usado de forma alguma sem autorização expressa, por escrito, do autor.

Copyright © 2020 de Jair Lorenzetti Filho. Todos os direitos reservados. Este site ou qualquer parte dele não pode ser reproduzido ou usado de forma alguma sem autorização expressa, por escrito, do autor.