O BUSCADOR FAKE NEWS COM VIÉS POLÍTICO E ECONÔMICO DO GOOGLE!

Eu já denuncio e crítico as práticas não éticas das redes sociais, principalmente Twitter e Google desde que criei o Estocástico em outubro de 2019. Desde de então, com meus conhecimentos profundos sobre tecnologia de informação, configurei perfeitamente meu site para ser encontrado e indexado pelos mecanismos de busca do Google e Bing, que representam 97% do mercado brasileiro.


Então vamos falar da busca feita pelo meu nome entre aspas em ambos.


No Bing os resultados são plausíveis, pois além da homepage do Estocástico, todas os textos aparecem ao longo das páginas de resultados de buscas do mesmo. Também aparecem os blogs bolsonaristas que divulgam notícias falsas, calúnias e Fake News com as matérias originais do “Jornal da Cidade Online” e “Crítica Nacional” (ambos cheios de processos de vários reclamantes diferentes). Tanto os dois originais, quanto os replicadores da cadeia de Fake News bolsonarista aparecem, porém não nas primeiras páginas, mas espalhados ao longo de mais de doze páginas de buscas. Aparentemente o Bing apresenta o resultado da busca sem viés, apresentando meu nome associado as redes que faço parte como LinkedIn, Facebook, Linktree e diversas matérias na mídia de negócios.


Já no Google tudo flui de maneira bastante peculiar. Inicialmente ele apresenta o meu nome associado a outra rede social tradicional da Democracia Ciborgue, o Twitter. Justamente o Twitter, o qual em conjunto com o Google, são as redes utilizadas para a promoção monetizada, automações e divulgação de Fake News por parte dos criminosos dos perfis anônimos e blogs bolsonaristas.


A seguir surgem informações de sites de processos que ganhei onde sou reclamante, bem como CNPJ de empresas que nem mais existem ou nem sou mais sócio, todas informações desatualizadas e irrelevantes, salvo para pesquisas de má fé.


Juntamente com os dados desatualizados e jurídicos começam as informações de blogs bolsonaristas, mantidos por criminosos, disseminadores de pós-verdade, calúnias, fraudes, mentiras e Fake News relacionados a seguir:


Jornal da Cidade Online

Crítica Nacional

Portal Maratimba

Exibir Gospel

Pleno News

Presidente Bolsonaro

Valdiva Naves

A Gazeta Pernambucana

Ground News

Movimento Conservador

Fala Petrolina


É importante lembrar que mesmo a Fake News destes disseminadores secundários, sendo de outra fonte, segundo especialistas, também estão incorrendo em crime: "Quando um indivíduo, também influenciado por tais características, compartilha uma Fake News, pode sim estar cometendo crime. Se a notícia falsa for difamatória, por exemplo, e divulgada na íntegra pelo sujeito que compartilha, poderá suportar as sanções penais. Aliás, o mero compartilhamento de uma Fake News pode resultar a quem compartilhou a obrigação de um pagamento de indenização à vítima da mentira".


O detalhe é que estes blogs todos são hospedados em plataformas de baixo custo e não possuem ferramentas para integração com SEO dos buscadores, porém muitos deles são participantes do “ads” ou “adsense” do Google.


Enquanto meu site, o estocástico, encontra-se hospedado em uma plataforma profissional de alto custo, está perfeitamente configurado no SEO há mais de um ano, só aparece em uma única vez na busca do Google somente na homepage. O Detalhe é que não anúncio no “ads” do Google e esta mesma empresa recusou a “monetizar” o meu site do “adsense” alegando “conteúdo pobre”, porém por muito tempo, até o Sleeping Giants agir, o Jornal da Cidade Online, com conteúdo escatológico e fraudulento foi monetizado pelo “adsense” do Google.


Enquanto os posts destes blogs criminosos, que associam meu nome a informações comprovadamente falsas e com má fé, saem nos resultados de pesquisa do Google, os posts do meu site Estocástico plenamente configurados no SEO e com TAGs idênticas às destes posts falsos dos blogs criminosos, nem aparecem nos resultados da busca do Google em nenhuma das páginas. Inclusive nem meu LinkedIn aparece nos resultados. E justamente nos meus posts eu desminto todas as informações falsas destes blogs bolsonaristas criminosos.


Vamos comprovar a tese:



Tudo em “plain text” seguem os detalhes:

1) O QUE VOCÊ ALCANÇOU

Título atual:

Estocástico | Jair Lorenzetti Filho - 3D | Brasil

Pelo menos uma das suas

palavras-chave

está incluída

Nome do negócio ou do site

aparece

A localização

está ótima.

O título tem um bom comprimento

O título é exclusivo

2) O QUE VOCÊ ALCANÇOU

Current description:

Opiniões em 3 Dimensões sobre tecnologia, negócios, ambientalismo, economia e po...

Pelo menos uma das suas

palavras-chave

está incluída

Aparece o nome do negócio ou site.

A descrição tem um bom comprimento.

3) O QUE VOCÊ ALCANÇOU

Pelo menos uma das suas

palavras-chave

está incluída

Aparece o nome do negócio ou site.

4) O QUE VOCÊ ALCANÇOU

A página inicial está configurada para ser visível nos resultados de busca.

5) O QUE VOCÊ ALCANÇOU

O site está otimizado para dispositivos móveis.

6) O QUE VOCÊ ALCANÇOU

Seu site está conectado ao seu próprio domínio.

7) O QUE VOCÊ ALCANÇOU

Seu site está conectado ao Google Search Console

8) O QUE VOCÊ ALCANÇOU

Aparecem as informações de contato.

O endereço de email está bom.

A localização

foi editada

9) O QUE VOCÊ ALCANÇOU

Ter pelo menos um link das redes sociais na sua página inicial.

O link do Facebook está atualizado.

O link do Linkedin está atualizado.

O link do Twitter está atualizado.

10) O QUE VOCÊ ALCANÇOU

Pelo menos uma outra página tem link para a página 'Opinião'.

A página 'Opinião' tem link para outra página no seu site.

11) O QUE VOCÊ ALCANÇOU

Título atual:

Biografia | Estocastico

Nome do negócio ou do site

aparece

O título tem um bom comprimento

O título é exclusivo

12) O QUE VOCÊ ALCANÇOU

Current description:

Biografia de Jair Lorenzetti Filho. Jair Lorenzetti - Estocástico – Lorenzetti

13) O QUE VOCÊ ALCANÇOU

Pelo menos uma das suas

palavras-chave

está incluída

14) O QUE VOCÊ ALCANÇOU

O endereço de email está bom.

15) O QUE VOCÊ ALCANÇOU

O link do Youtube está atualizado.

O link do Linkedin está atualizado.

16) O QUE VOCÊ ALCANÇOU

Pelo menos uma outra página tem link para a página 'Biografia'.

A página 'Biografia' tem link para outra página no seu site.

17) Título atual:

Books | Estocastico

Nome do negócio ou do site

aparece

O título tem um bom comprimento

O título é exclusivo

18) O QUE VOCÊ ALCANÇOU

Current description:

Livro gratuito sobre "A Origem do Ódio nas redes sociais", de Jair Lorenzetti Fi...

A descrição está atualizada.

19) O QUE VOCÊ ALCANÇOU

Pelo menos uma das suas

palavras-chave

está incluída

20) O QUE VOCÊ ALCANÇOU

O endereço de email está bom.

21) O QUE VOCÊ ALCANÇOU

Pelo menos uma outra página tem link para a página 'Books'.

A página 'Books' tem link para outra página no seu site.

22) Contatos | Estocastico

Nome do negócio ou do site

aparece

O título tem um bom comprimento

O título é exclusivo

23) O QUE VOCÊ ALCANÇOU

Current description:

Chat do Site Estocástico, grupo WhatsApp e e-mail. Jair Lorenzetti - Estocástico...

24) O QUE VOCÊ ALCANÇOU

Pelo menos uma das suas

palavras-chave

está incluída


E o meu plano SEO com mais de 100 itens segue verificado, aprovado e indexado em todo o site:



Além disso todos os demais recursos existentes para os buscadores estão configurados corretamente:







Além disso o meu site está 100% adequado a LGPD e todas as leis internacionais de privacidade e uso de dados.



Como é que blogs sem recursos técnicos e com informações falsas, caluniosas, pós-verdade e Fake News conseguem sair nas primeiras páginas de busca do Google e um site com o “state of art” da tecnologia como o Estocástico com conteúdo de altíssima qualidade mal aparece nos resultados?


Primeiramente, como já ocorre comigo no Twitter, o meu conteúdo é censurado e, portanto, não tem alcance, inclusive no Twitter sou proibido até de promover meus tweets a pagamento!



O Detalhe é que não fiz um único anúncio nesta conta de 2014 e o Twitter não respondeu a razão desta proibição em denúncia ao Procon SP, deixando a mesma ir para um processo administrativo.


Do mesmo modo como o Twitter se recusa a verificar meu perfil, mas verifica até partidos políticos que não existem e pessoas desconhecidas, que nem aparecem na busca do Google (fora do Twitter), a questão parece ser uma censura política pessoal.


Já a questão do Google precisa ser tratada como racismo geográfico e violações do código penal brasileiro, como vou explicar.


Vamos explicar de que se trata o buscador do Google no caso de uma pessoa física real.


Você digita o nome desta pessoa, entre aspas para pegar exatamente o mesmo nome e o Google tem uma infinidade de sites indexados em big data, através dos mecanismos de busca e este apresenta “teoricamente” todos os sites nos quais o seu nome foi encontrado. Como ele é o buscador dominante mundialmente, mesmo que os sites contenham informações criminosas, falsas e sigilosas suas, ele leva uma infinidade de pessoas a acessar as mesmas, as quais nunca seriam encontradas sem o Google, ou seja ele acaba funcionando como uma ferramenta publicitária, mas que não se responsabiliza pelas propagandas criminosas que faz.


Por conta disso a justiça da União Europeia obrigou o Google a conceder o “direito ao esquecimento” para sites com informações defasadas, caluniosas etc. para as pessoas que assim o solicitarem em um formulário que o Google disponibiliza aos cidadãos europeus. Porém o Google só restringe este benefício ético e moral aos europeus, pois nós, aqui no terceiro mundo, não temos o mesmo recurso disponível, pelo contrário, o Google ainda entra em embates administrativos e legais para defender informações caluniosas e anônimas que são levadas ao conhecimento público por seu buscador. Isso se chama racismo geográfico, pois temos direitos a menor que os europeus dentro da mesma rede privada global.


Então o próprio Google, sempre colocando seu parceiro de Democracia Ciborgue e Pós-Verdade, o Twitter, na primeira posição dos resultados da busca basicamente expõem publicamente nossos nomes a ações criminosas e não se responsabiliza por isso mesmo você se queixando administrativamente e até legalmente junto ao Google Brasil.





Agindo assim o Google está se enquadrando no Código Penal no “Art. 349 - Prestar a criminoso, fora dos casos de coautoria ou de receptação, auxílio destinado a tornar seguro o proveito do crime. A violação reside no fato de que esse crime é praticado por aquele que deseja tornar seguro o proveito do crime, agindo em favor do autor do ato criminoso e não tem a intenção de tirar proveito para si, ou seja, proveito próprio, ou, ainda, para terceiro que não seja o autor do delito em questão, como ocorre na receptação. Sendo assim, no favorecimento real a ação do elemento visa prestar auxílio ao autor do crime; na receptação a conduta típica incide justamente sobre o objeto material do crime. Na lição de Júlio Fabbrini Mirabete, "a vontade de auxiliar o autor do crime, conhecendo previamente o fato delituoso, é o dolo do crime de favorecimento real. Na dúvida a respeito do crime antecedente, há dolo eventual. Exige-se, porém, o fim específico da conduta: o de tornar seguro o proveito do crime por seu autor." O mesmo autor sublinha, nesse sentido, que "no favorecimento real, delito contra a administração da justiça, o agente não visa a proveito, que pode ser de qualquer natureza (patrimonial, moral, sexual, etc.), mas tão-somente beneficiar o criminoso" (Manual de Direito Penal. Vol. 3. 14ª edição). Neste sentido esclarecem o entendimento de favorecimento real.


No caso específico da questão as informações caluniosas envolvendo meu nome partiram de dois blogs e foram copiadas pelos demais: Jornal da Cidade Online e Crítica Nacional, de propriedade respectivamente de José Pinheiro Tolentino Filho (sem LinkedIn) e Paulo de Oliveira Enéas (sem Linkedin), dois sujeitos que só tem seus nomes atrelados, praticamente ao mundo da Democracia Ciborgue e Pós-Verdade do bolsonarismo, sem notoriedade pessoal e profissional alguma na mídia séria anteriormente.


Vejamos quem são eles:


José Pinheiro Tolentino Filho

Paulo de Oliveira Enéas


Sendo que já tenho uma ação judicial correndo contra o primeiro e contra o segundo já tenho um processo correndo no MPF (*) e pretendo ajuizar na próxima semana uma ação indenizatória por danos morais.


(*)



Estarei procedendo na próxima semana também vários processos administrativos junto ao PROCON SP contra o Google com as seguintes queixas:


· Segregação racial contra mim, um cidadão brasileiro, por não conceder o mesmo benefício tecnológico concedido a cidadãos europeus, do formulário digital solicitando o direito ao esquecimento nos sites criminosos nos resultados da busca do Google.


· Reclamação por não exibir resultados com meu nome e com meu site no buscador mesmo tendo preenchido todos os requisitos do SEO, estando cadastrado no Google, sendo que eu pago o “ads” com meu nome no aplicativo LinkTree. E irei apresentar todas as configurações técnicas de meu SEO na reclamação.


· Sobre a associação do meu nome a notícias falsas e calunia: Código Penal no “Art. 349 - Prestar a criminoso, fora dos casos de coautoria ou de receptação, auxílio destinado a tornar seguro o proveito do crime. A violação reside no fato de que esse crime é praticado por aquele que deseja tornar seguro o proveito do crime, agindo em favor do autor do ato criminoso e não tem a intenção de tirar proveito para si, ou seja, proveito próprio, ou, ainda, para terceiro que não seja o autor do delito em questão, como ocorre na receptação. Exigindo que o Google retire os referidos sites dos resultados de sua busca. Ainda Art. 138 - Caluniar alguém, imputando-lhe falsamente fato definido como crime. § 1º - Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga. Art. 139 - Difamar alguém, imputando-lhe fato ofensivo à sua reputação. Art. 140 – Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro. Parágrafo único - Se o crime é cometido mediante paga ou promessa de recompensa, aplica-se a pena em dobro. Isso no caso do Google receber valores destes sites através do “ads”. O Google com o resultado de suas buscas, por meu nome, divulgado publicamente cometeu todos estes crimes.


O Google não apresenta nem meu LinkedIn e meu LinkTree(com ads) nos resultados da busca pelo meu nome, mas apresenta todo o tipo de calúnias publicadas por blogs criminosos, que podem até estar pagando para aparecer nas primeiras páginas dos resultados das buscas.


Tanto em termos de reputação pessoal, profissional e até valor de “marca, economicamente meu nome tem muito mais valor que José Pinheiro Tolentino Filho, Paulo de Oliveira Enéas, Jornal da Cidade Online, Crítica Nacional, Portal Maratimba, Exibir Gospel, Pleno News, Valdiva Naves, Movimento Conservador, Fala Petrolina e A Gazeta Pernambucana. Ou seja: os valores dos danos morais devem quantificar o dano econômico ao meu nome, que tem reputação ilibada e um currículo público comprovado de sucesso no mundo dos negócios. Estes elementos, responsáveis por estes sites, não medem consequências e tamanho do dano que estão causando. Sei de casos de pessoas que, por conta das fake news desta malta bolsonarista, estão passando por dificuldades financeiras, psiquiátricas e até pensando em suicídio.


Eu quero ver o advogado e procurador estatutário do Google no Brasil, o tal Yin Ki Lee usar todos os tipos de chicanas jurídicas habituais que ele conhece, para tentar negar toda esta base conceitual.


Há um aparente envolvimento técnico, econômico e político de toda esta militância bolsonarista com o Google, todas as evidências e avaliações técnicas apontam para isso.


Precisamos levar estas informações ao conhecimento do STF especificamente aos ministros Alexandre de Moraes e Gilmar Mendes.


Os CEOs destas redes sociais no Brasil devem começar a responder, como executivos estatutários, criminalmente pelos crimes cometidos por suas empresas em território brasileiro.


Eu me sinto como perseguido político, censurado e discriminado tanto pelo Google como pelo Twitter, que nem são empresas brasileiras, dentro de meu país.