POLÍTICA QUÂNTICA: PRIMÓRDIOS?

Como existe a possibilidade de eu ter leitores Meliantes Anônimos Virtuais (MAV), do Twitter, fato que indica elevado grau de insciência, se faz necessário antecipadamente à apresentação de conceitos básicos, ora indispensáveis ao “exercício da minha autoridade”.


Política


A palavra “política” faz menção a tudo que está vinculado ao Estado e sua administração, mas definições modernas defendem que política é meramente o exercício do poder.


Sistemas Quânticos


Sistemas quânticos têm uma função de onda que os descreve completamente. Essa função de onda é uma expressão matemática complexa e virtual (sem realidade própria), da qual é possível extrair toda a informação desse sistema.


Fonte: https://brasilescola.uol.com.br/.


Arthur Jay Finkelstein (18 de maio 1945 - 18 de agosto de 2017) de Nova Iorque, do Partido Republicano (GOP) foi um consultor que tinha trabalhado para conservadores candidatos e de direita nos Estados Unidos, Canada, Israel, Central e Europa Oriental nas últimas quatro décadas.


Com seu irmão, Ronald, ele dirigia uma empresa de consultoria e pesquisa política com sede em Irvington, Nova York. As especialidades de Finkelstein foram pesquisa, estratégia, mensagem, mídia, posicionamento de anúncios e aconselhamento sobre gerenciamento geral de campanhas.


Vamos conhecer a lista (parcial) om alguns dos clientes deste misterioso consultor:


· Ex-presidente dos EUA Richard Nixon (1971–72);

· Ex-presidente dos EUA, Ronald Reagan (1976–84);

· Atual primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu (1996, 1999);

· Primeiro Ministro Israelense Ariel Sharon (2001);

· Político israelense Avigdor Lieberman (2009–17);

· Prefeito de Jerusalém Nir Barkat (2008);

· Primeiro-ministro húngaro, Viktor Orbán ;

· Primeiro Ministro do Kosovo, Hashim Thaçi;

· Primeiro-ministro búlgaro Sergey Stanishev;

· Primeiro-ministro tcheco Mirek Topolanek;

· O ex-primeiro ministro romeno Călin Popescu-Tăriceanu ;

· Presidente do Azerbaijão Ilham Aliyev (2012–17);

· Senador dos EUA Orrin Hatch (1976–82);

· Ex-senador americano James L. Buckley (1970–80);

· O ex-senador americano Jesse Helms (1972–84);

· Ex-senador dos EUA Strom Thurmond (1978);

· O ex-senador americano Gordon Humphrey (1978–84);

· A ex-senadora dos EUA Connie Mack III (1982–94);

· O ex-senador americano Larry Pressler (1996);

· O ex-senador americano John East (1980);

· O ex-senador dos EUA Roger Jepsen (1978–84);

· Ex-senador dos EUA Alfonse D'Amato (1980–98);

· O ex-senador dos EUA Rudy Boschwitz (1996);

· O ex-senador americano Lauch Faircloth (1992–98);

· O ex-senador americano Bob Dole;

· O ex-senador dos EUA Don Nickles (1980–92);

· O ex-senador americano Bob Smith;

· O ex-senador dos EUA Bill Roth (1994-2000);

· O ex-governador de Nova York George Pataki (1994-2002);

· Representante dos EUA George Holding (2012–16);

· Ex-representante dos EUA Mickey Edwards;

· O ex-representante dos EUA Gerald Solomon;

· O ex-representante dos EUA Jack Kemp;

· Denny Smith, ex-representante dos EUA (1980–90);

· Ex-representante dos EUA Carroll Campbell (1978);

· Ex-representante dos EUA Bill Cobey (1984–86);

· Ex-representante dos EUA Robert K. Dornan;

· Ex-representante dos EUA Duncan L. Hunter (1980);

· Ex-representante dos EUA, agora senador dos EUA Patrick Toomey (2004);

· Ex-representante dos EUA e procurador-geral da Flórida Bill McCollum (1980-2010);

· Ex-representante dos EUA Elton Gallegly ;

· Ex-representante dos EUA Connie Mack IV (2004–12);

· Ex-representante dos EUA Mary Bono Mack (2008–12);

· Ex-representante dos EUA Rick Lazio , candidato a Governador de Nova York em Ex-representante dos EUA Steve Pearce ;

· Ex-Embaixadora da ONU Jeane Kirkpatrick (1985–87);

· O ex-vice-governador do Texas David Dewhurst (1994-2006);

· Ex-senador do estado da Califórnia Ed Davis (1986);

· Terry Dolan é o Comitê Nacional de Ação Política Conservadora (NCPAC) (1975–87);

· Bill Binnie , candidato de 2010 ao Senado dos EUA de New Hampshire (2010);

· Revista Time;

· Scott Paper;

· McDonald's;

· Quaker Oats;

· Publicações do razão;

· The Trump Organization;

· Oponentes do novo estádio no West Side de Manhattan.


Filho de judeus e homossexual, reservado e obcecado pela descrição. Comparado ao personagem Keyser Söze, do filme “Os Suspeitos” que ninguém jamais encontrou pessoalmente. É considerado digno do cinema de Hollywood, um personagem capaz de abater o adversário mais forte, mais tão secreto que pouquíssimos tiveram a chance de vê-lo pessoalmente.


Foi o pioneiro no método de microtargeting, análises demográficas sofisticadas e sondagens de boca de urna entre os eleitores nas primárias, que permitiam identificar grupos para os quais deveriam enviar mensagens segmentadas. Mesmo antes das redes sociais, Finkelstein já utilizava maciçamente as cartas em papel e o telemarketing para mapear partidários potencias para seus clientes. Para uns envia mensagens mais moderadas e com outros acentua aspectos do programa ou da personalidade do candidato. Ele é o pioneiro pré-algoritmo, no marketing político personalizado.


Porém, outra grande característica da Democracia Ciborgue e Pós-Verdade que ele desenvolveu foi uma técnica não de promover seus candidatos, mas de destruir seus oponentes. São as negatives campaigns, que se lançam ao ataque jogando nos ventiladores os “defeitos” de seus oponentes. É o demolidor de adversários, especializando em ser consultor de políticos sem competência e até com enormes telhados de vidro.


Foi um líder e influencer na geração de “spin doctors” dos círculos de poder político, que foram responsáveis pelas eleições de George W. Bush e Donald Trump.


Finkelstein também atuou bastante na Europa e Oriente Médio, especializando-se em atacar progressistas e liberais piedosos do mundo inteiro, e defender líderes populistas nacionalistas (com currículos para lá de problemáticos) apenas ressaltando o patriotismo (em todos os países) e serem tementes a Deus (todos os deuses, não importando qual). Ele fez carreira nos países do antigo império soviético, com suas campanhas difamatórias e usando imagens e analogias chulas propositadamente para debochar de seus concorrentes e fazer sua base de “resignados e problemáticos” rirem dos mesmos.


Seu grande projeto foi ao lado de Viktor Orban, na Hungria, onde mesmo antes das redes sociais, já aplicavam as mesmas metodologias de ataque, da Democracia Ciborgue e Pós-Verdade, antes até dos pioneiros Movimento 5 Estrelas e La Liga do Norte chegarem começarem. Orban comandou a Hungria entre 1998 e 2002, tornando desde então o Fidesz, um partido nacional-conservador de direita que é, atualmente, o maior partido político da Hungria. Desde 2010 é o primeiro ministro da Hungria sendo um mentor de líderes populistas conservadores de vários outros países.


O pioneiro projeto nacional populista de Orban, arquitetado por Finkelstein, não apresenta a sua vitória como uma simples alternância, mas como um prelúdio da revolução que permitiu ao povo finalmente tomar o poder. Um manifesto pela cooperação nacional, no qual “o trabalho, o lar, a família, a saúde, a religião e a ordem” são indicadores de um novo sistema nascido da vontade popular. Tudo reescrevendo as leis, fazendo a justiça se submeter ao executivo.


Neste modelo de Política Quântica, é a cidadania como um todo é a mobilização permanente pela “luta em prol da libertação nacional”. Deste modo, quando surgem problemas de corrupção e notórios episódios de incompetência na gestão, ele muda o debate e, direção a pena de morte por exemplo.


Passam o tempo todo criando inimigos invisíveis, também criando “manchetes burlescas” dizendo e agindo como atores das pornochanchadas brasileiras dos anos sessenta e setenta. Como dizem os jovens: “sempre causando”. Para Finkelstein a realidade nunca o abatia, pois, para ele, a coisa mais importante: o que você percebe como verdade é que é a verdade.


Para eles a máxima de Maquiavel: “jamais deixe passar uma crise” é regra de governança. Comandando a Hungria por muito tempo, a dupla Orban e Finkelstein se torna um “bunker” do nacional populismo para influenciar outros países europeus. Como seus seguidores futuros, os políticos italianos, ingleses, norte-americanos e brasileiros, eles são oportunistas. Inclusive o manual de conduta para os eleitos do Movimento 5 Estrelas, na Itália, segue o mesmo manual de Finkelstein. O Vade Mecum dele diz claramente: Nós somos a saída para a resignação, à raiva e o medo. Este mesmo modelo se reproduziu em todos os demais países, de maneira basicamente igual, onde o nacional populismo venceu as eleições posteriores, na segunda década do século XXI.


Este texto é o primeiro de três abordando a Política Quântica dos Arquitetos da Democracia Ciborgue e Pós-Verdade:


1) Política Quântica: Primórdios?

2) Política Quântica: Atual!

3) Política Quântica: Futura?


O segundo texto abordará a Política Quântica utilizada da segunda década deste século até agora e o terceiro abordará as possibilidades futuras da extensão desta política, com a utilização de informações oriundas da “internet das coisas”.


O tema Política Quântica será abordado em seu quadro atual, profundamente no segundo texto justamente com o ingrediente das redes sociais e inteligências artificiais, que foi adicionado ao modus operandi dos primórdios da mesma, que foi abordado neste texto.


Preparem-se, pois a manipulação e modulação com Política Quântica da Democracia Ciborgue pode estar apenas começando!

Copyright © 2020 de Jair Lorenzetti Filho. Todos os direitos reservados. Este site ou qualquer parte dele não pode ser reproduzido ou usado de forma alguma sem autorização expressa, por escrito, do autor.

Copyright © 2020 de Jair Lorenzetti Filho. Todos os direitos reservados. Este site ou qualquer parte dele não pode ser reproduzido ou usado de forma alguma sem autorização expressa, por escrito, do autor.