REDES DESLEAIS!

Aquele cujo nome não pode ser mencionado, o jovem, rico e bem sucedido Felipe Neto, que eu nunca entendi exatamente o que é, foi vítima de mais um ataque da Democracia Ciborgue e sua legião anônima, nas redes sociais.


Quando falo em redes sociais, estou falando das que tentam parecer sérias, como o Facebook e daquelas que vivem justamente por não ser séria: o Twitter.


Eu confesso que minhas informações anteriores do clã dos Netos, o Felipe e o Lucas, era apenas oriunda dos livros e revistas na altura de crianças, nas prateleiras das livrarias no corredor dos caixas. Também vi por no máximo oito segundos, trailers de filmes deles no Now, um tipo de Netflix de velho que tem para quem assina a Net-Claro. Como não tenho filhos, não há ninguém no mundo que me faça ler os livros deles e tão pouco ver os filmes, a mesma relação que tenho, até a Microsoft o comprar, com o Tiktok.


Eu apenas pesquisei, bem pouco, para entender quem é o Felipe Neto nesta semana, para tentar compreender a “ameaça” que ele representa para os meliantes anônimos virtuais (MAV): patriotas, família, cristãos, conservadores, direita e infradotados das redes sociais.


Cheguei à conclusão que o jovem não é “comunista”, pelo contrário, muito menos um "ativista de esquerda". Apenas um empreendedor digital muito sagaz e bem sucedido. Isso por si só já é uma “afronta” aos poucos Meliantes Anônimos Virtuais que realmente existem nas redes sociais, pois a maioria absoluta deles não interessados, política e economicamente, no ativismo da Democracia Ciborgue, são pessoas com problemas emocionais, financeiros e sociais no mundo real. Estão apenas sendo modulados em bolhas de filtragem para serem foliões digitais no Carnaval virtual nas redes sociais, nas câmeras de eco. Resumindo são inditosos com zelotipia.


Mas a postura das redes sociais, sempre usando a expressão “liberdade de expressão” no lugar de liberdade de faturamento (delas) é ridícula como habitualmente.


Para quem tem o controle de seus usuários (perfis) sabe exatamente o IP de origem, horário, frequência, quantidades e conteúdos de publicações, rastreáveis facilmente pelos seus algoritmos e Inteligências Artificiais, é ridículo deixar estes linchamentos virtuais modulados por automações, prosseguirem dentro de suas redes.


As redes sociais fazem a imprensa, a justiça e muitos mais de idiotas com seu relativismo “técnico”, que funciona com precisão e agilidade para ganharem dinheiro, porém nunca quando é para atuar os meliantes virtuais anônimos em ação ou cumprir a lei. Os perfis verificados por eles, por exemplo, nada mais são que um modo de “puxar o saco” de quem os interessa economicamente e não por qualificação, importância ou méritos.


O Facebook se move como uma tartaruga para “resolver” estes problemas. Já o Twitter nem com microscópio eletrônico se consegue enxergar nenhum movimento com alguma tentativa de resolução.


O fato é que a Democracia Ciborgue e a Pós-Verdade geram muita receita com os engajamentos quantitativos, mesmo que sejam automações, para seus acionistas (redes sociais). E uma grande parte da culpa por isso é das empresas que anunciam e usam os serviços destas redes sociais, que querem publicidade a qualquer custo.

As redes sociais são tão culpadas, pela Democracia Ciborgue, Pós-Verdade e Meliantes Virtuais Anônimos, quanto os próprios financiadores e “soldados” desta legião do comportamento grotesco digital.


As redes sociais são redes desleais, com as pessoas reais que trabalham gratuitamente para as mesmas e são vendidas como produtos, aos interessados que pagam pelos seus dados.

Copyright © 2020 de Jair Lorenzetti Filho. Todos os direitos reservados. Este site ou qualquer parte dele não pode ser reproduzido ou usado de forma alguma sem autorização expressa, por escrito, do autor.

Copyright © 2020 de Jair Lorenzetti Filho. Todos os direitos reservados. Este site ou qualquer parte dele não pode ser reproduzido ou usado de forma alguma sem autorização expressa, por escrito, do autor.