THE MAV FILES!

Atualizado: há 5 horas

Eu participei (e talvez ainda participe, quem sabe?) de muitos grupos MAV. Eu tenho muitas “evidências” bem documentadas, portanto lembrem-se: “Todas as mentiras levam a verdade”.


Os perfis MAV (Milícias Virtuais Anônimas) do “bolsolavismo” são uma das mais pouco convincentes fantasias virtuais do Twitter. Eu os conheci um pouco antes das eleições 2018. No mundo MAV tem de tudo: gente que “acredita”, gente com “interesse”, gente “paga”, “personagens”, otários, “intelectuais” de terceira linha, empresas de marketing digital e até “espíritos virtuais” (“gente” que só existe no Twitter).


Em se tratando de mundo MAV tudo se resume a: “Trust No One”.


Não preciso dar nomes aqui, apenas o “modus operandi” dos MAV demonstram quem são eles.


Todo perfil MAV, em geral, tem dezenas de milhares de seguidores, a maioria deles sempre os mesmos, um grupo dentro de uma bolha, sempre participando e sendo “indicados” nos intermináveis SDV (Segue de volta) MAV.


Alguns são claramente personagens com as mais estúpidas imagens que conseguimos imaginar. Outros usam as mesmas fotos “ad eternum” que podem ser deles mesmos ou de qualquer um, quase sempre gente anônima. Raramente você encontra o perfil (pelo menos com “Instagram”) de algum MAV na “BIO”. Nos poucos casos no Instagram ou são perfis só com imagens / mensagens políticas ou algumas poucas fotos claramente “retocadas” no “Photoshop”. Mesmo em se tratando de alguma “musa” MAV “real”, as fotos na maioria são muito editadas e / ou digitalizadas, talvez de algum álbum de formatura da época da “Kodak”.


As frases e “emojis” da “BIO” são quase padronizadas, restritas sempre a um mesmo padrão.


Os “tweets” MAV são bastante limitados em conteúdo e quase sempre sem nenhuma qualidade intelectual. Eventualmente usam truques “olavistas” como falácias, ilações e “escatalogia” verbal. Usam basicamente “palavras de ordem”, calúnias, difamações e destruição de reputações. Divulgam muitos “memes” montados nas “centrais” de criações MAV nos grupos e distribuídos a partis dos mesmos. Nos grupos também se definem, organizam e distribuem os “ataques” virtuais, “fake News”, “denúncias” e todos os tipos de terrorismo virtual imagináveis.


Também existem alguns “intelectuais” MAV, com identidade real, porém quase sempre com parcas ou nenhuma realização destacada no mundo real (o que os tornam “fakes”: intelectuais “posers”). Quando são intelectuais “meritocraticamente” reconhecidos no mundo real ou são “chapa branca” (passadores de pano) ou figuras já no “crepúsculo” ou “meia noite” da carreira. Mas neste caso não são MAV, apenas decadentes.


Existem alguns poucos MAV completamente reais em seus perfis. São os “cowboys” do Twitter. São pessoas reais que “formam” a opinião MAV, os “influencers” famosos. Neste caso apesar de não serem MAV no Twitter, são na “religião” tem uma “alma”, uma "essência" de MAV.


Todo MAV tenta se posicionar como um “sábio” virtual, sempre são os “heróis”, donos da verdade, cheios de “razão” e com “qualificação” curricular de um PHD. Julgam-se capazes de contestar tudo e todos, mesmo que não existam no mundo real e, quando “existem”, os “currículos” e “contas bancárias” raramente corroboram suas teorias.


Outra característica dos MAV é a incrível capacidade de fugir da realidade e de qualquer sentido lógico em suas “discussões”. Eles conseguem divagar e se anuviar de maneiras inacreditáveis. Querem sempre “discutir” anonimamente no Twitter, em geral apoiados por “correligionários” e não aceitam nunca o desafio de ir “discutir” no mundo real. Faça o teste e o convide um para o “LinkedIn” e ele vai responder que não utiliza e em raras vezes fala que têm, mas nunca “revela” o perfil. Ficam sempre restritos ao “I Want to Believe”. São o “Glam Rock” virtual.


O “grande segredo” dos MAV é justamente que eles não têm segredos, uma vez que ou não existem ou são tão “personagens” que não tem nenhuma relação com suas vidas reais.


E os “affairs” nos grupos MAV correm à solta. Não existe restrição de diferença etária nem de estado civil. É um autêntico “Vale Tudo”. São como “enclausurados” nos valores públicos e dominados por “feromônios” nas vidas secretas. Claro que 99% dos “affairs” MAV ficam só no campo virtual, pois poucos têm as condições reais ou financeiras para concretizar o “faz de conta” virtual. Evidentemente que estamos falando apenas dos MAV “eroticamente” ativos em termos de “libido”, muitos já se “aposentaram” e outros talvez realmente respeitam seus parceiros. Mas não confie em ninguém...


Hipocrisia é uma das “palavras chave” do mundo MAV: “Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço”. Basta apenas observar os “mitos”, “gurus” e “influencers” MAV para chegar a esta óbvia conclusão.


O mundo MAV é um mundo de “abduções”, “conspirações” e administrado em “porões” de “agências governamentais”, como a popular série de televisão dos anos 90.


Esta foi uma sinopse do “Arquivo MAV”.



Copyright © 2020 de Jair Lorenzetti Filho. Todos os direitos reservados. Este site ou qualquer parte dele não pode ser reproduzido ou usado de forma alguma sem autorização expressa, por escrito, do autor.