TRUMP IS DEAD!

And Bolsonaro, as always, will imitate him!


Donald Trump, em um ato de desespero, tentou incitar seus psicopatas, sociopatas e suas “otoridades” (autoridades fakes) anônimas, das redes sociais, para um golpe de estado nos EUA. Falhou grotescamente e ainda assinou o próprio atestado de óbito político. Porém esse movimento da Democracia Ciborgue (Democracia Virtual), deve prosseguir nos próximos anos, com a polarização maniqueísta a esquerda e direita, no mundo dualista bidimensional (igual ao religioso) modulado e manipulado através das redes sociais. Se trata não de uma democracia, já que é um fenômeno manipulado e modulado, mas a ilusão de uma com um projeto sectário e totalitário oculto, patrocinado pelo capital especulador global dos mercados de capitais.


Aqui no Brasil, os Sockpuppets e Trolls do Bolsonarismo do Twitter, estavam em polvorosa no final de semana. Por conta do banimento de Trump das redes sociais e do boicote ao Parler, uma rede social inexpressiva feita para protofascistas e neonazistas viúvas do 4Chan. As “otoridades” (autoridades fakes) virtuais anônimas ou reais bolsonaristas, tão inexpressivas e diferenciadas quanto uma caixa de cereal, mentiram muito, como sempre, que iriam deixar o Twitter, apenas como forma de pressão chula habitual. É evidente que estes milicianos virtuais não são nada e ninguém sem o alcance, público e algoritmos das redes sociais.


Apenas por conta do centrão político fisiológico brasileiro (aquele que trabalha “on demand” por verbas políticas), Bolsonaro ainda não sofreu um processo de impeachment. Enquanto isso ele segue tentando aparelhar o estado de militares tão medíocres quanto ele, bem como as polícias militares estaduais e polícia federal. Além disso prossegue tentando armar os psicopatas e sociopatas de suas milícias virtuais anônimas (bem ao estilo do seu maior ídolo Hugo Chávez, juntamente com o seriado Chaves ), visando um golpe de estado, fechamento do legislativo, judiciário e implantação de um regime totalitário hereditário, similar a Coréia do Norte. É o que a mente intelectualmente muito limitada e psicopática dele consegue produzir, ainda mais anuviada com a filosofia mística fake “rasputiniana” de Olavo de Carvalho, que norteia os filhos e núcleo duro (burro) de “assessores” bolsonaristas.


Enquanto isso, por conta da política negacionista e conspiratória que Bolsonaro alardeia, o Brasil não teve nenhum projeto ou gestão para crise de saúde da pandemia de covid. Já ultrapassamos 200.000 mortos e devemos totalizar um número entre 300.000 e 400.000 mortos ao final de 2021. Um genocídio criminoso deste capitão fake. Além da inépcia em relação a pandemia, o psicopata, que praticamente não trabalha, só faz campanha política para as eleições de 2022, segue com “lives” e viagens pelos estados, violando as regras de segurança sem máscara e promovendo aglomerações, para demonstrar sua “rebeldia” frente ao "status quo". Nada de novo em termos de caudilhos populistas da américa latina. A única novidade do bolsonarismo, é de fato seus “jagunços” virtuais nas redes sociais.


E algo gritante a falta de qualificação de todas as pessoas que compõem o bolsonarismo no Brasil. Desde os militares alocados em milhares de cargos, bem como os “filósofos políticos” de redes sociais também aparelhando o estado. Os ministérios e secretarias do bolsonarismo são todos preenchidos com “batedores de continência” (puxa-sacos) tão medíocres quanto seu líder.


Por fim, as linhas de tempo (câmeras de eco) das redes sociais, criadas para as listas e grupos de perfis bolsonaristas (bolhas de filtro), são uma amostra pública da mediocridade e autoritarismo das pessoas que militam o bolsonarismo virtual.


E isso não deve parar tão cedo. Não há nenhum altruísmo nas ações do Facebook e Twitter no banimento de Trump poucos dias após a tentativa de golpe e duas semanas antes do final de seu mandato. A questão foi simplesmente política e principalmente econômica. Trump é uma carta fora do baralho, não vai render mais dividendos. Porém o personagem Trump pode ser ocupado por algum dos aspirantes brevemente, apoiados pelas mesmas hordas políticas e econômicas protofascistas e neonazistas globais que apoiaram o “trumpismo”.


O problema da Democracia Ciborgue e da Pós-Verdade, nas redes sociais persiste. Enquanto os estados nacionais não tomarem medidas duras contra as redes sociais, inclusive as banindo de operar em seus territórios, elas continuarão a ser a república virtual das bananas dos “bananas”.


Não tem almoço grátis, as redes sociais querem é faturar a quaisquer custos.