TWITTER: O REINO DOS TROLLS MILICIANOS ANÔNIMOS!

Primeiro quem são os Trolls Milicianos?


Um trol ou por vezes grafado como troll (em inglês britânico: [tɹʷəʊɫ] ou IPA: [tɹʷɒɫ], "truâul" ou "truóal"; em inglês americano: [tɻʷoʊɫ], "tchroul", através do termo congenere nas línguas nórdicas com referência à criatura homonima do folclore escandinavo), na gíria da Internet, designa uma pessoa cujo comportamento tende sistematicamente a desestabilizar uma discussão e a provocar e enfurecer as pessoas nela envolvidas. O termo surgiu na Usenet, derivado da expressão trolling for suckers ("lançando a isca aos trouxas"), identificado e atribuído aos causadores das sistemáticas Fake News e toda a Pós-Verdade da Democracia Ciborgue.

O que motiva um troll a agir geralmente são: autoafirmação, ideologia, fanatismo, ou simplesmente ociosidade. Neste texto vamos abordar basicamente os trolls bolsonaristas do Twitter que também são também MAV (Meliantes Virtuais Anônimos) da Democracia Ciborgue, portanto profissionais.


Vamos falar das técnicas trolls mais comuns que eles utilizam apoiados por perfis falsos e reais, das bolhas de filtragem reunidas nas câmeras de eco, também conhecida por TL:


  • Jogar a isca e sair correndo: consiste em postar uma mensagem incendiária, bastante polêmica, já esperando uma grande reação em cadeia. Porém o troll não se envolve mais na discussão; ele some após a mensagem original e se diverte com a repercussão. Uma forma mais branda é postar notícias polêmicas só para observar a reação da comunidade.

  • Induzir a baixar o nível: alguns trolls testam a paciência dos interlocutores, induzem e persuadem a pessoa a perder o bom senso na discussão e apelar para baixaria e xingamentos. Com isso, o troll "queima o filme", consegue que a pessoa se auto-difame na comunidade por ter descido a um nível tão baixo.

  • Repetição de falácias: outro método usado que induz à fadiga intelectual, em que o troll repete seu conjunto de falácias até que leve seu interlocutor à exaustão, vencendo a discussão por abandono do oponente.

  • Desfile intelectual: um troll pode ter bom nível intelectual, vocabulário sofisticado diante dos outros discursantes, desfilar referências e contradizer os argumentos dos rivais por conhecimento e pesquisa, muitas vezes os expondo ao ridículo e questionando sua formação educacional.

  • Transpor autoria: é muito comum também um troll acusar sua vítima de ser um troll para tirar de si a identificação como tal, abrindo caminho para alternativas anteriores.

  • Ludibriar o leitor: é usado principalmente por postagens de blogues ou em comentários dos mesmos, onde normalmente o material enviado é de procedência duvidosa, ou falta com a verdade.

  • Migrar o tema: o troll levanta questões aparentemente pertinentes ao tema, inserindo aspetos onde esteja melhor preparado para se pronunciar mesmo que isso custe o desfoque do cerne da questão, objetivando um ponto onde possa desestabilizar o oponente do debate.


Muitos dos trolls do Twitter, por questões judiciais, operam fora do Brasil, em países como EUA e Austrália, mesmo tendo relacionamentos pessoais íntimos como seus mandatários. Fingem ter outras atividades tais como traders, mecânicos, fisioterapeutas e até cozinheiros, "oficialmente" para despistar economicamente.


Para combater estes trolls bastaria fazer apenas o que o Twitter não faz (na prática) tanto na TL quanto nos Grupos:

  • Estabelecer regras rígidas de comportamento e respeito a outros usuários, vigiar todo o conteúdo das mensagens para se certificar que nenhum direito está sendo violado.

  • Cortar pela raiz comentários provocativos, banindo temporária ou permanentemente os autores e aqueles que replicarem.

  • Ignorar ameaças (morte, processo), agir friamente em face de um clima desestabilizado.

  • Não deixar se envolver ideologicamente contra a opinião do troll, isso leva à geração de novos trolls que discordam do anterior e tem respaldo do moderador.

  • Fazer checagem de IP sempre para certificar-se que não há clones. Dar um ultimato a um grupo de opinião troll quando esses começarem a passar dos limites e não hesitar de banir todos eles se o caso for de persistência.

  • Uma regra mais invasiva, mas não tão bem vinda é deletar todas as mensagens do troll a ponto de que ele tenha todos os seus comentários deletados, gerando cansaço e desistência. Esta regra é eficiente, mas muito perigosa, pois pode afastar contribuidores legítimos apenas levantando pontos de polêmica na comunidade. É também usada como meio de ferramenta de um moderador censor/troll, o que pode arruinar a comunidade e sua reputação.

Alguns trolls têm perfis impunes há mais de dez anos no Twitter e continuam em constante propaganda política criminosa disfarçada de liberdade de expressão. Práticas com cyberbullying, cyberstalking, cyberdoxing e todo tipo de cybercultura de ódio e preconceitos permanecem impunes no Twitter misteriosamente.


Você não precisa ser um especialista em informática para identificar alguns dos principais trolls da Democracia Ciborgue brasileira e expoentes da Pós-Verdade, basta apenas ver a lista que o Rei, príncipes e princesa dos trolls seguem no Twitter:


https://twitter.com/jairbolsonaro/following


https://twitter.com/CarlosBolsonaro/following


https://twitter.com/FlavioBolsonaro/following


https://twitter.com/BolsonaroSP/following


Copyright © 2020 de Jair Lorenzetti Filho. Todos os direitos reservados. Este site ou qualquer parte dele não pode ser reproduzido ou usado de forma alguma sem autorização expressa, por escrito, do autor.

Copyright © 2020 de Jair Lorenzetti Filho. Todos os direitos reservados. Este site ou qualquer parte dele não pode ser reproduzido ou usado de forma alguma sem autorização expressa, por escrito, do autor.